Tipos de empreendedores

jovens-aplaudindoEfectuar uma qualquer distinção capaz de separar os diferentes perfis de empreendedorismo é uma tarefa assumidamente complicada dada a singular dinâmica que caracteriza as pessoas enquadradas neste rumo profissional.

A melhor abordagem possível à questão será apresentar um pequeno conjunto de géneros específicos o suficiente para demarcarem as principais orientações mas amplos ao ponto de consentirem outras subdivisões pertinentes. Nesse sentido, uma dessas hipotéticas determinações poderia integrar os seguintes tipos de empreendedores: artesão, inovador, de oportunidade e de filosofia.

Empreendedor artesão

Neste se poderiam incluir todos os espíritos de empreendedorismo que tiram o melhor partido de um dado investimento e graças a ele obtêm os seus rendimentos, podendo tal resultar de algo pura e simplesmente criado pela sua mente ou reutilizado na sequência de uma aprendizagem ou adopção prévias.

Empreendedor inovador

Partindo-se na óptica da inovação, aqui se poderiam enquadrar os titulares que desenvolvendo um determinado processo ou produto transformam uma ideia em realidade, materializando o que foi pensamento em seu benefício e/ou dos outros, podendo ou não comercializar a criação em virtude da sua vontade.

Empreendedor de oportunidade

Destinar-se-ia a englobar aqueles apostados no desenvolvimento de algo já criado mas cujo potencial não foi capitalizado na medida do permitido (leia-se: não usado no máximo das suas capacidades), distinguindo-se assim do empreendedor inovador por dizer respeito somente a alterações no existente e não à invenção de haveres totalmente diferentes, ou seja, incluindo só a reinvenção e não o invento.

Empreendedor de filosofia

Versado ao estilo profissional que faz do empreendedorismo o seu modo de vida e que aposta no risco para gerir o presente bem como traçar o futuro mas que o realiza independentemente, distanciando-se, portanto, de todos os demais tipos de empreendedores pelo facto de não estar sob o acompanhamento ou ordens de natureza empresarial (“patrão”).

A diferenciação

Convém sublinhar que a separação apresentada constitui uma das possibilidades, não sendo, nem pretendendo ser, uma limitação rígida ou única. Tanto mais é que nenhum dos referidos géneros é exclusivo, apesar de serem categorizados, podendo o empreendedor de filosofia ser também qualquer um dos restantes desde que trabalhe de forma independente; e o empreendedor artesão representar a figura do empreendedor em si, isto é, aquele que investe, o empresário que possui o seu próprio negócio.



AVISO:Todos os artigos publicados são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento.