As recompensas de ser empreendedor

mulher-liderO espectro laboral nacional sofreu profundas modificações nos últimos anos e mais ainda nos últimos meses, o que veio criar a necessidade de apelar ao melhor que a criatividade tem para oferecer se desejamos vencer os obstáculos e mudar o rumo da nossa existência profissional. Uma das rotas é muitas vezes guiada pelo empreendedorismo, valor que caracteriza a pessoa dinâmica capaz de ver no inesperado o que outros nem reparam. E como seria de esperar, essa qualidade produz os seus benefícios, entre os quais se destacam a independência, realização profissional, controlo do próprio destino e gratificação financeira.

Independência

Para muitos a principal razão de se tornarem empreendedores, a independência é sem dúvida uma enorme vantagem desta filosofia de vida, no entanto, atingir este estado implica muito empenho, não acontecendo de um momento para o outro nem tão pouco conseguido em toda a sua amplitude de uma só vez. Contudo, esta recompensa integrará indubitavelmente o topo da lista de palavras que nos surgem em pensamento quando se fala em empreendedorismo e não é por mero acaso, já que representa efectivamente uma das mais visíveis e positivas facetas de uma pessoa empreendedora.

Realização profissional

Em algumas ocasiões, o empreendedorismo assume-se como o único caminho para seguir a carreira desejada, sobretudo em Portugal, nação bastante limitada em termos de mercado. Por isso, não é de estranhar que o nosso país se mantenha na linha da frente europeia no que toca aos números do “cidadão empreendedor”, mesmo em pleno tempo de recessão. Em outros casos, a razão de se empreender está ligada à insatisfação com a situação laboral corrente, seja qual for o motivo por detrás de tal descontentamento. Porém, uma coisa é certa para ambos os cenários, escolher esta via independente levará sempre a um nível de realização profissional que dificilmente se alcançaria em diferente realidade se, obviamente, for usufruído da melhor forma de todas as potencialidades oferecidas pelo empreendedorismo, a maioria das quais não encontrará em nenhuma outra qualidade desta natureza.

Controlo do próprio destino

Indissociável dos aspectos supramencionados, ser “dono e senhor” do nosso destino é uma inegável vantagem de se empreender mas acarreta uma responsabilidade substancial: o futuro é da total e exclusiva obrigação do empreendedor, algo com que terá de se aprender a viver e a que estão associados uma série de desafios que terão de ser ultrapassados ao longo de todo o percurso. Tal como afirma o ditame, “com grande liberdade vem grande responsabilidade”.

Gratificação financeira

Não acontecerá porventura na mesma proporção nem com a mesma brevidade em todas as situações, contudo, existe uma elevada probabilidade de que a compensação económica venha a suceder mais tarde ou mais cedo. O grau de prontidão e significância monetária dependerá em boa medida do esforço realizado, área de actuação e nível de conhecimentos no âmbito laboral. É verdade que a subida dos rendimentos provenientes do trabalho podem igualmente acontecer à parte do empreendedorismo, no entanto, a gratificação financeira que deste pode derivar é habitualmente superior (e mais satisfatória) à quiçá obtida em moldes alternativos.



AVISO:Todos os artigos publicados são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento.